A ação filantrópica dos industriais da Pampilhosa fez-se sentir com a construção de infra-estruturas para a população. É o caso do "Chafariz do Garoto", escultura do Mestre Teixeira Lopes inaugurada em 1916, a construção de Bairros Operários e a doação de matéria prima para a construção das suas habitações. A nivel do lazer, contribuiram igualmente para o desenvolvimento da terra.

Por exemplo, Germano Godinho doou ao Futebol Clube de Pampilhosa o terreno e os tijolos para os muros onde foi construído o campo de futebol. Foi também um dos responsáveis pelo surgimento da Filarmónica Pampilhosense, em 1920.

A radicação de famílias dotadas de comportamento urbano e recursos financeiros, como foi o caso dos ferroviários e dos quadros empresariais, levou a uma maior estratificação social que veio a sobrepor-se à estrutura local, causando um choque inicial.

O facto de existir uma nova dinâmica social na Pampilhosa, fez com que surgissem vários jornais locais. Os principais foram "Madrugada" (1911/1914), "A Defesa" (1923/1926), "Caminho" (1966/1969), e o "Jornal do Centro" (1969/1976).

Estas transformações tiveram também impactos culturais. Exemplo disso é a construção do Teatro  do Grémio de Instrução e Recreio de Pampilhosa (GIR). A escritura de construção da associação data de 5 de abril de 1906. O notário veio da Mealhada a pé até à Pampilhosa e a escritura foi realizada no escritório do Chefe da Estação do Caminho de Ferro da Pampilhosa. O terreno foi doado pelo dono do "Chalet Suiço", Paul Bergamin, ao Sr. Lúcio Oliveira, primeiro responsável pelo Grémio. Para a sua construção foram lançados titulos de ações. O primeiro capital foi de 3 mil reis, divididos por mil e duzentos sócios. Também neste caso, é de salientar a ação mecenática dos industriais que contribuiram para a sua construção. As atividades iniciaram-se com representações de teatro e por aqui passaram grandes atores e grandes companhias da ápoca. Era um local de passagem e de paragem obrigatória devido à existência da linha de Caminho de Ferro.

A nivel local, constituiu-se logo de início o Grupo Dramático de Beneficiência e Recreio da Pampilhosa. Seguidamente, veio o cinema, que apagou de certa forma, o teatro. Mas, por volta de 1960, ganha novo folgo com o Grupo Cénico dos Amigos da Pampilhosa que representou várias peças e operetas. Aqui vieram vários grupos de teatro, como os de Tavarede, Mortágua e Coimbra (Bonifrates).

O cinema começou a ser apresentado  em 1924, mas a primeira sessão válida foi no dia 25 de junho de 1925 com o filme "Aviso na Porta" (cinema mudo). O cinema sonoro iniciou-se em 1929. A Pampilhosa foi das primeiras povoações do Distrito a ter cinema.

O Grémio foi também muito utilizado pelos políticos para fazer campanhas eleitorais desde o tempo de Norton de Matos e para a realização de festas de Natal e de Ano Novo.

Este espaço era frequentado pela população do Concelho da Mealhada e das zona envolventes. O projetista, Sr. Joaquim Pires, passou depois a deslocar-se com a máquina de projetar às outras localidades.

Em 1990, o teatro foi encerrado na sequência de uma informação do delegado da Direção Geral de Espetáculos, que não reconhecia condições para continuar em funcionamento. Apesar da informação para que fechassem o teatro, este ainda levou à cena uma representação de teatro em março de 1990 a favor do Centro de Assistência Paroquial, pelo que lhe foi instaurado um processo pela DGAE que acabou por ser arquivado. Desde a data de encerramento do teatro que se começou a pensar na recuperação do edifício e o início das obras está previsto para breve. O espólio existente inclui cartazes, documentos escritos, mobiliário, folhetos, fotografias, desenhos, bobines, máquina de projeção de filmes.

O movimento que o Caminho de Ferro e a consequente industrialização trouxeram para a Pampilhosa fez com que surgissem infraestruturas até então inexistentes, como é o caso do Chalet Suiço. Mandado construir em 1886 por Paul Bergamin, um emigrante suiço que veio para a zona da Pampilhosa aquando da instalação da linha de Caminho de Ferro da Beira Alta, o edifício sofreu influência arquitetónica do seu país natal. Teve por finalidade a indústria hoteleira e chegou a ser residência real, pois ali pernoitaram os Reis de Portugal D.Carlos e D.Amelia no quarto n.º 12, quando vinham da capital para o Bussaco. O edifício sofreu alterações, pois a entrada principal era precedida por oito degraus e tinha frondosas árvores à frente. Hoje está enterrado cerca de 4 metros devido à elevação da estrada fronteira. Nas traseiras possui um terreno com anexos, onde se encontrava a palmeira mais alta da Europa. Como já referimos, foi também Paul Bergamin quem cedeu o terreno para a construção do teatro do Grémio de Instrução e Recreio.

A nível de equipamentos, há ainda a salientar a criação de escolas como é o caso da escola primária Tomás da Cruz, obra do industrial Joaqum da Cruz, inaugurada em 1923.