Programas Cine-Teatro da Pampilhosa 
Hoje é possível reconstruir toda a história do cinema da Pampilhosa através de uma fabulosa colecção de programas de cinema de que é proprietário o Grémio de Instrução e Recreio, conhecido também pelo cinema da Pampilhosa. Possui igualmente outra documentação na área do cinema.
Grémio de Instrução e Recreio um nome talvez já fora de uso, é no entanto a mais antiga associação do concelho da Mealhada, fundada a 5 de Abril de 1906. Por curiosidade, a escritura desta associação foi feita no escritório do chefe da estação dos caminhos-de-ferro da Beira Alta, tendo como notário Francisco Vasconcellos, deslocando-se este a pé da Mealhada.
Por esta sala de espectáculos passaram ao longo de dezenas de anos, grandes companhias do teatro nacionais, para além de grupos de teatro locais. Uma actividade notável, cuja memória é necessário não esquecer.
A formação em 1924 de uma empresa cinematográfica, veio alterar o modo de utilização da sala, sendo o cinema a grande novidade, actividade que só terminaria em 1987, mas nunca deixando que o espaço fosse utilizado por várias manifestações culturais.
A colecção de programas de cinema de que esta associação é proprietária é do melhor que existe no nosso país. Tudo isto possível graças à paciência e organização dos dirigentes desta empresa cinematográfica.
O primeiro programa data de 23 de Novembro de 1924 e pelo seu simbolismo o consideramos o mais significativo. Deste programa que inaugura o “Cinematógrafo Eléctrico” da Pampilhosa, anuncia a exibição de oito soberbos filmes e deles destacamos “Beleza Angelical”, filme que marca o início da projecção de filmes nesta localidade. Tudo isto no tempo do cinema mudo. O ecrã era apenas do tamanho de 3 m por 2,4 m, mas isso não impediu de encher a sala. Os bilhetes mais populares eram apenas de oitenta centavos. O fornecimento de energia eléctrica era feito a partir da cerâmica Mourão Teixeira Lopes, já que nos primeiros anos a iluminação era a gás, produzido nas próprias instalações, existindo ainda vestígios desta época.
O programa de 5 de Julho de 1925 promete um sensacional espectáculo com a exibição de dois filmes, “Aviso na porta” e “Lágrimas de cavalo”, anunciando a inauguração de uma magnífica máquina cinematográfica, último modelo da “Casa Pathé”, com garantia da supressão absoluta da trepidação e uma projecção nítida. Um verdadeiro sucesso.
Da consulta de todos estes programas poderemos em 1927 assinalar a inauguração de uma grafonola “Pathé” que podia dar som à exibição dos filmes e entreter o público durante os intervalos, assim como a inauguração de um auto-piano no ano seguinte para os mesmos fins.
A 3 de Maio de 1931 chega finalmente o cinema sonoro à Pampilhosa, com a exibição do filme “Broadway”. Promete este programa uma inauguração sensacional, uma grande festa e grande arte.
Esta empresa cinematográfica levou o cinema a outras localidades. Em 1933 leva o cinema sonoro ao antigo teatro da Mealhada assim como ao Teatro Avenida do Luso e em 1935 ao Teatro de Anadia. Em 1938 inicia as exibições no casino da Curia. Todo o equipamento necessário era transportado por esta empresa. Estas exibições prolongaram-se por alguns anos.
No ano de 1964 chega o “Cinemascop”.
Esta empresa termina as exibições de filmes no ano de 1986.