História

Capela do Senhor do Lombo Foi erguida no decurso do século XVIII, no sítio do Lombo, a primeira planta era octogonal e situava-se mais acima do que a actual, no Freixo.

 

Nos últimos anos do século XX  com a abertura da estrada foi necessário deslocar a capela.

É uma construção simples rectangular encimada por um óculo em losango formando recortes e vidraça em cruz, de vidro azul e branco. Termina no alto com cruz simples de braços arredondados.

Ao lado direito tem a sacristia, um pouco recuada e sobre esta o campanário, com sineta metida numa arcada formando moldura, que termina numa pequena cruz trilobado e ornamentada com duas pirâmides laterais.

Tem esta capela um só altar principal – do padroeiro – o Senhor dos Aflitos. É uma antiga imagem em pedra de Cristo Crucificado, século XVI, corrente. Tem ainda a imagem de pedra da Senhora da Ajuda, renascença graciosa século XVI, mutilada. É uma Virgem com o menino ajudando esta e levar a cruz. Há uma outra imagem em pedra bastante tosca, também de Nossa Senhora com o menino no braço esquerdo, segurando um pequeno globo, na outra mão a Senhora ergue um terço. Estas duas imagens estão colocadas no altar principal, ladeando a imagem do Senhor dos Aflitos.

Numa mísula à esquerda está a pequena imagem de Santa Luzia, em madeira. É mais recente mas anterior a 1872, onde aparece referenciada nos livros de «receita/despesa» desta capela. Ao lado direito está o púlpito, com a base em pedra e gradeamento em madeira. A porta principal é de madeira almofadada, o chão com lajes quadradas de pedra branca e negra, colocadas em simetria, provenientes da antiga capela, e lá colocadas em 1875, como se lê no mesmo livro.

Em 18 de Julho de 1900 dizia-se nela a primeira missa.

Tinha a sua festa feita pelos mordomos em honra e louvor do Senhor dos Aflitos com sermão e missa cantada.

 

Texto tirado de: «Pampilhosa oito séculos de historia» de Maria Alegria Fernandes Marques

Arquitectura

Substitui uma octogonal, que foi erguida mais acima no Freixo, mas que foi destruída em 1900 pela abertura de uma nova estrada. Construção simples.
No altar um sacrário de pedra do século XVI, e mutilado, no alto o antigo crucifixo de pedra do século XVI, corrente. Há duas pequenas esculturas de pedra da Virgem com o Menino, uma do século XVI renascença, graciosa mas secundaria, mutilada, e a outra do século XVII, tosca.

Texto tirado de: - Academia Nacional de Belas Artes Inventario Artístico de Portugal – Distrito de Aveiro – Zona Sul – Lisboa 1959