Joaquim Simões PlenoDedicou a maior parte da sua vida à Filarmónica Pampilhosense. Nascido em Santana Ferreira-a-Nova, Figueira da Foz em 15 de Outubro de 1908, um dos dez filhos do matrimónio de Manuel Maria Simões Pleno com Ana de Jesus Ferreira, iniciou a sua carreira de Regente em Liceia, após o falecimento de um tio. Aos 16 anos veio com seu Pai para a Pampilhosa. Aqui casou e, posteriormente, passou a reger a banda. Joaquim Pleno, durante a sua vida, esteve à frente das bandas de Liceia, Arazede, Poiares, Barcouço, S. João de Areias e Pampilhosa, bem como das Tunas de Souselas e Franciscas (Cantanhede). Foi o compositor exclusivo da Casa “Olímpio Medina” de Coimbra. Compôs inúmeras peças, marchas, entremezes, etc. para toda a região, tendo-se inscrito na Sociedade Portuguesa de Autores. A sua obra estará espalhada por todo o país, talvez nem só, assinada por si e também pelo seu pseudónimo, Talarosa (junção dos nomes das suas filhas, Natália e Rosa). Entre outras homenagens, foi-lhe atribuída a medalha concelhia de Mérito Cultural pela C. M. de Mealhada e em 25-4-1999, na sua última homenagem em vida, prestada pelo Povo da Pampilhosa, o seu nome ficou perpetuado no coreto da Vila. Esteve 64 anos como regente, falecendo em 29 de Junho de 2001, com 92 anos de idade. Jaz no cemitério velho da Pampilhosa. Foi o principal impulsionador da Filarmónica Pampilhosense.

Bibliografia: Caderno da Revista n.º 16 “Pampilhosa Uma Terra e um Povo” Maio de 1997 GEDEPA